google-site-verification: google0decf4d5dff2e927.html www.jornaldealvorada.com
 

Estrada Caminho do Meio tem rotina de congestionamento e imprudência

A falta de duplicação prejudica o crescimento econômico da região de Porto Alegre, Alvorada e Viamão.

Maior avenida de Porto Alegre, a Protásio Alves liga diversos bairros da cidade e é trajeto todos os dias para milhares de trabalhadores, estudantes e cidadãos em geral da capital, de Alvorada e de Viamão. No entanto, as más condições de sua infraestrutura e os congestionamentos diários que podem levar mais de hora de muita paciência - sobretudo no seu trecho final, se agravando após a Av. Manoel Elias em direção ao Caminho do Meio - diminuem a qualidade de vida de todos que se utilizam dela, indo ou retornando de seu serviço, seu estudo ou qualquer outro compromisso.

É fácil notar o motivo. A infraestrutura viária está claramente defasada. Essa região há 20 anos atrás possuía sítios e chácaras, vem passando por um intenso processo de urbanização e especulação imobiliária. Grandes condomínios e loteamentos foram e estão sendo construídos nos últimos anos e há um aumento demográfico na região, mas não houve desde então nenhum grande projeto de alargamento/duplicação da pista que tenha saído do papel.

O que antes era um trecho quase rural hoje é uma das principais entradas/saídas de Porto Alegre, ligando Viamão e Alvorada.

Há trechos quase sem acostamento nem calçada, somente com uma estreita faixa de terra entre o asfalto e muitas vezes o mato adjacente à pista, piorando em dias de chuva ao comprometer a segurança dos pedestres, em especial crianças, idosos e pessoas com mobilidade reduzida. Ciclofaixas ou ciclovias também são uma distante fantasia para algum ciclista aventureiro e a ausência de corredor ou faixa exclusiva para ônibus desestimula o uso do coletivo, que não raras vezes está atrasado, devido aos grandes e diários congestionamentos.

Já houve projeto e recurso para a realização da duplicação. Porém, a verba liberada foi perdida. Essa é uma demanda de muitos anos da comunidade que convive com os congestionamentos e desvalorização da região devido à morosidade do Poder Público, das Prefeituras e do Governo do Estado. Obras de duplicação do trecho são muito necessárias e necessitam ser pautadas pelas autoridades. Do contrário, esse problema se manterá por anos e anos e tende a se agravar!

O projeto para a duplicação do Caminho do Meio chegou a ter recursos aprovados no PAC 2 Mobilidade Grandes Cidades e no PAC 50, do governo Federal (2012/2014), mas não evoluiu.

Na última semana a pauta voltou a ser debatida pelas lideranças políticas, que buscam juntos uma forma de levar esta reivindicação ao Governo Federal, no intuito de angariar os recursos perdidos, para duplicação desta importante via, que liga Porto Alegre, Alvorada e Viamão.

Alvorada esteve presente na reunião, pelo Presidente da Câmara de Vereadores, Schumacher (PTB), que representou o prefeito José Arno Appolo do Amaral,

Segundo o vereador Schumacher esta via sofre muito com os congestionamentos e necessita uma qualificação na mobilidade urbana.

De acordo com a bancada gaúcha começa, agora, a fase de mobilização, para ir ao governo federal batalhar pela verba. A duplicação do Caminho do Meio, que teria em torno de 15km, prevê ainda a criação de faixa exclusiva para ônibus e ciclovia. O projeto é dividido em trechos, indo de Porto Alegre (esquina das avenidas Saturnino de Brito com Protásio Alves), até o encontro da via com a RS-040, em Viamão.

 
Jornal de Alvorada