google-site-verification: google0decf4d5dff2e927.html www.jornaldealvorada.com
top of page

Investimento deve alavancar indústria em Alvorada


O crescimento industrial no entorno de Porto Alegre em décadas passadas não foi replicado na época em Alvorada, município também vizinho à capital gaúcha. Pois agora, a cidade, que hoje tem apenas 4% da arrecadação do ICMS industrial ligado à metalurgia e fabricação de máquinas e equipamentos, pode viver também um ciclo de desenvolvimento ligado a este setor. A Fundição Ciron, que é a maior empresa de fundição do Estado e fornecedora para a produção de máquinas agrícolas no Rio Grande do Sul, está em processo de licenciamento ambiental para instalar no município uma planta com capacidade para produzir até 7 mil toneladas de aço por mês, gerando até 600 empregos, e com um investimento de R$ 200 milhões. O anúncio do novo investimento foi feito no ano passado, consolidando este como o maior investimento no distrito industrial do município, previsto para ocupar uma área de 54 hectares. “A nossa chegada a Alvorada foi definida por uma questão de logística. Estaremos mais próximos do mercado para o qual fornecemos. Pelo que temos conhecido da cidade, vamos desenvolver uma relação com a comunidade como temos em Santo Ângelo, onde é a nossa origem. Lá, somos uma das empresas com maior contribuição de impostos para o desenvolvimento local. Em Alvorada, a empresa será ainda maior, com um impacto na economia local ainda mais significativo”, avalia o coordenador de marketing da empresa, Luís Rabelo. Alvorada tem a sétima maior população entre as regiões retratadas neste Mapa Econômico, com um PIB de R$ 3,08 bilhões – seis vezes menor que Canoas – em 2020, não figurava entre as 10 maiores economias da região. A atração do investimento para Alvorada foi garantida com benefícios de uma das políticas do governo estadual, o Proedi-RS, que é o programa de incentivo à instalação em distritos industriais estratégicos. Desde 2019, as regiões retratadas neste Mapa Econômico receberam benefícios, também com o Fundopem, para investimentos que chegaram a R$ 1,3 bilhão. Estavam na região 65 de todos os 340 projetos beneficiados neste período. Conforme o Anuário de Investimentos organizado pelo Jornal do Comércio no último ano, as regiões tiveram R$ 26 bilhões rastreados em aportes – a metade dos investimentos mapeados. E, nos últimos 10 anos, o BRDE destinou R$ 1,4 bilhão do total de R$ 9,9 bilhões em financiamentos – 14% do total – para as regiões Metropolitana, Vale do Sinos, Litoral e Centro-Sul, sendo a maior parte destinada a projetos industriais.

bottom of page
Jornal de Alvorada