google-site-verification: google0decf4d5dff2e927.html www.jornaldealvorada.com
 

Manifestantes protestam em frente a escola contra professor suspeito de importunação sexual

Ato ocorreu em frente à Escola Estadual Carlos Drummond de Andrade, onde alunas denunciaram professor.

Com cartazes e faixas, mães e alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Carlos Drummond de Andrade, de Alvorada, na região Metropolitana, realizaram no início da noite desta terça-feira uma manifestação em frente à instituição de ensino em apoio às vítimas de suposto assédio feito por um professor de português. O docente, acusado de importunação sexual por quatro alunos, teve o afastamento temporário das funções determinado pela Secretaria Estadual da Educação (Seduc).

As duas primeiras ocorrências foram registradas ainda no início de julho deste ano. “Queremos justiça, e que ele pague”, declarou a mãe de uma das meninas que afirmou ter sido assediada pelo docente.

“Ele piscava para nós, tentava passar a mão e abraçava apertado. Isto acontecia desde o início do ano”, relatou uma adolescente de 13 anos, aluna da escola.

Uma outra mãe relembrou os momentos difíceis da filha.

“Ela começou a mudar de comportamento, ficava nervosa e disse que não queria ir mais na aula. Foi neste momento que ela me contou o que tinha acontecido”, relatou a mãe que não quis se identificar. “É difícil, sempre achamos que nunca vai acontecer conosco”, completou a mulher, de 45 anos.

A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Alvorada, sob o comando da delegada Samieh Bahjat Saleh, investiga o caso.

“Só estamos esperando os laudos para remeter ao Ministério Público que pode denunciar ou não o suspeito”, explicou. O Instituto Geral de Perícias (IGP) ainda trabalha na perícia. A titular da delegacia especializada ressaltou que caso o suspeito seja considerado culpado, pode ser condenado de 1 a 5 anos de prisão.

 
Jornal de Alvorada