google-site-verification: google0decf4d5dff2e927.html www.jornaldealvorada.com
 

Polícia diz que traficantes de Alvorada estão matando rivais no Guajuviras, em Canoas


Foto: Jaime Zanatta

A investigação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO) apontou que criminosos de Alvorada, na Região Metropolitana, estão indo até o Guajuviras, em Canoas, para matar rivais. Eles foram alvos da Operação Fusão, deflagrada pela Polícia Civil e Brigada Militar, que tinha o objetivo de combater o tráfico de drogas e o comércio irregular de armas de fogo.

Os policiais investigaram 40 pessoas. Destas, 14 foram presas, após 62 ordens judiciais, sendo 46 ordens de mandados de busca e apreensão, seis mandados de prisão preventiva e 10 mandados de prisão temporária nas cidades de Canoas, Porto Alegre, Cidreira, Alvorada, Guaíba, Viamão e Lajeado, serem cumpridas. As investigações, que duraram cerca de um ano, apontaram que os grupos criminosos possuem forte envolvimento na distribuição de pontos de tráfico e farto armamento para domínio do território.

O delegado Thiago Lacerda destaca que a repressão ao tráfico de drogas tem reflexo direto nos índices de criminalidade. “O desmantelamento desses grupos criminosos contribuem significativamente para redução dos índices de crimes correlatos no Estado, como crimes patrimoniais e homicídios”, avalia.

O Tenente Coronel Jorge Dirceu Filho, Comandante do 15° BPM, salienta que o trabalho exaustivo de inteligência de ambos os órgãos, mesclado com ações de investigação da DRACO/Canoas e operacionais da Brigada Militar ao longo deste ano, tem seu sucesso exaltado com os resultados finais desta operação. “Impactará significativamente na redução da criminalidade no município”, esclarece.

O Diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana – 2ªDPRM, Delegado Mario Souza, relembra que a DRACO/CANOAS tem focado em desmantelar organizações criminosas voltadas ao tráfico de drogas. “A desarticulação desses grupos traz mais segurança a sociedade em razão, principalmente, da redução dos homicídios que na sua grande maioria são relacionados a disputas por pontos de tráfico”, afirma.

 
Jornal de Alvorada