google-site-verification: google0decf4d5dff2e927.html www.jornaldealvorada.com
 

Uma única doação de sangue pode salvar até quatro vidas


De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), são realizadas 92 milhões de doações de sangue por ano em todo o mundo. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, 1,9% dos brasileiros doa sangue regularmente. Embora esteja dentro do parâmetro definido pela OMS, esse número ainda precisa melhorar (e depende muito da sua parte).

Para garantir um melhor abastecimento dos estoques de sangue em todo o País, em 2016, foi definido um novo Regulamento Técnico de Procedimentos Hemoterápicos, com critérios atualizados para a doação de sangue no Brasil. A nova legislação estabelece diretrizes voltadas ao aumento da segurança para quem doa e recebe sangue e amplia a faixa etária para candidatos à doação.

A biomédica Cinthya Duran explica que, com uma única doação, é possível salvar até quatro vidas, uma vez que o material é separado em diferentes hemocomponentes: concentrado de hemácias (glóbulos vermelhos); concentrado de plaquetas; plasma; e crioprecipitado — que podem ser utilizados em diversas situações clínicas.

“De qualquer modo, é necessária a conscientização de que a doação de sangue precisa ser feita não apenas em épocas de campanhas para o reabastecimento de baixo estoque, mas durante todo o ano. O sangue doado tem sempre utilidade e nunca sobra. Pelo contrário, faz falta”, completa a especialista.

Não custa nada e vale muito Para se entender o impacto das doações, o baixo estoque de sangue em um hospital pode levar ao cancelamento de cirurgias e outros procedimentos. Um exemplo é o paciente que faz quimioterapia e que, caso não receba o suporte de transfusão, poderá não resistir ao tratamento. “Além disso, pode ser um enorme prejuízo ao paciente o adiamento de cirurgias cardíacas, de transplantes de rim, de fígado, de medula óssea, entre outros procedimentos que necessitam de sangue e de plaquetas”, acrescenta Cinthya. Isso sem contar os pacientes que são vítimas de acidentes e necessitam de reposição urgente de sangue. É importante saber que uma pessoa adulta possui, em média, cinco litros de sangue em seu corpo e, em uma doação, são coletados no máximo 450 ml do líquido. A quantidade representa menos de 10% de todo o sangue presente no organismo. Quem deseja doar sangue precisa passar por uma avaliação prévia em ambulatório que tem o objetivo de detectar alguns impedimentos para a doação, como doenças prévias e condições específicas, como baixo peso. Essa entrevista é particular e os dados são mantidos sob total sigilo.

Posts recentes

Ver tudo

Vaga para atuar em ALVORADA- RS para auxiliar financeiro, com experiência comprovada em contas pagar, conciliação bancária, organização de documentos, utilização de sistema integrado, baixas de boleto

 
Jornal de Alvorada